sábado, 13 de setembro de 2014

 
SER TERRA FÉRTIL PARA A SEMENTE DA PALAVRA DIVINA

Sábado da XXIV Semana Comum
20 de setembro de 2014
 

Evangelho: Lc 8,4-15

Naquele tempo, 4 reuniu-se uma grande multidão, e de todas as cidades iam ter com Jesus. Então ele contou esta parábola: 5 “O semeador saiu para semear a sua semente. Enquanto semeava, uma parte caiu à beira do caminho; foi pisada e os pássaros do céu a comeram. 6 Outra parte caiu sobre pedras; brotou e secou, porque não havia umidade. 7 Outra parte caiu no meio de espinhos; os espinhos cresceram juntos, e a sufocaram. 8 Outra parte caiu em terra boa; brotou e deu fruto, cem por um”. Dizendo isso, Jesus exclamou: “Quem tem ouvidos para ouvir ouça”. 9 Os discípulos lhe perguntaram o significado dessa parábola. 10 Jesus respondeu: “A vós foi dado conhecer os mistérios do Reino de Deus. Mas aos outros, só por meio de parábolas, para que olhando não vejam, e ouvindo não compreendam. 11ª parábola quer dizer o seguinte: A semente é a Palavra de Deus. 12 Os que estão à beira do caminho são aqueles que ouviram, mas, depois, vem o diabo e tira a Palavra do coração deles, para que não acreditem e não se salvem. 13 Os que estão sobre a pedra são aqueles que, ouvindo, acolhem a Palavra com alegria. Mas eles não têm raiz: por um momento acreditam; mas na hora da tentação voltam atrás. 14 Aquilo que caiu entre os espinhos são os que ouvem, mas, com o passar do tempo são sufocados pelas preocupações, pela riqueza e pelos prazeres da vida, e não chegam a amadurecer. 15 E o que caiu em terra boa são aqueles que, ouvindo com um coração bom e generoso, conservam a Palavra, e dão fruto na perseverança”.
--------------------------------------


A Parábola da semente, que cai em terras férteis, áridas, entre espinhos, à beira do caminho, na verdade, não precisa de muito comentário, pois é conhecida por todos e por todos é valorizada como expressão daquilo que deve ser nossa resposta à graça de Deus, à Palavra de Deus, à fé, dando frutos de boas obras. O próprio Jesus deu a explicação sobre o sentido da parábola.


Acreditamos firmemente que a Palavra de Deus é poderosa, tem força interior e força transformadora para a vida de qualquer ser humano. Por causa dessa Palavra poderosa muitos se tornaram santos e mártires; muitos se dedicaram sua vida para o bem dos necessitados; muitos se tornaram voluntários e missionários além da fronteira. Porém, seu fruto depende também de nós, porque Deus respeita nossa liberdade, não atua violentando vontades e queimando etapas. Acolher a Palavra de Deus com um coração nobre e generoso e perseverar na sua meditação e em sua obediência resulta na transformação total da vida de quem a acolhe. Por isso, essa parábola somente requer uma leitura meditativa de nossa parte.


A Palavra de Deus é poderosa, tem força interior. Mas seus fruto depende também de nós, porque Deus respeita nossa liberdade. Deus jamais atua violentando vontades e queimando etapas. Acolher a Palavra com um coração nobre e generoso e perseverar em sua meditação e em sua obediência (pôr em prática) é o que Jesus espera de cada um de nós.


Façamos, então, as seguintes perguntas:


- Será que sou caminho trilhado por todo tipo de tentações, coração que pisoteia nobres sentimentos de amor, de justiça, de paz, de solidariedade, de oblação pelos demais?


- Será que sou uma vida complicada e amarga, indiferente, egoísta, que não retém sentimentos de piedade, compaixão e altruísmo?


- Será que sou uma pessoa enredada ou entrelaçada na mata brava cheia de ervas nocivas e espinhosas que não quer abrir mão dos interesses mesquinhos que me tornam sem liberdade e leveza na minha convivência com os demais?


- Quanto tenho na minha alma de “terra fecunda”, com fome de Deus, sede de justiça e de retidão, de respeito mútuo, de espírito de serviço para o bem de todos?


Façamos frutificar a semente da verdade e do amor e teremos uma vida cheia de felicidade e faremos os outros felizes e anteciparemos a vida eterna já aqui na terra, pois a felicidade é o projeto de Jesus para todos nós (cf. Mt 5,1-12); Jo 10,10). Que nosso coração seja uma terra fecunda regada pelo Espírito de Deus para purificá-lo de todos os males que nele fazem seu ninho. Assim seremos úteis para Deus porque somos úteis para os outros.


Cada Palavra de Deus que lemos e escutamos todos os dias é uma semente plantada por Deus no coração de cada um de nós. E Deus espera os frutos dessa semente. Os frutos dependem de tipo de coração que cada um tem: pode ser um coração duro como pedra que nele não pode esperar nada de bom; pode ser um coração cheio de espinhos que fere e machuca os demais; pode ser um coração como estrada onde nada se cresce, pois os pés e outros veículos pisam sobre ele permanentemente; mas pode ser um coração fértil que dele só saem coisas boas para o bem de todos. Afinal, que tipo de coração você tem?


Vamos fazer mais perguntas. Quando eu escuto na Eucaristia a Palavra de Deus, ou seja, quando o Semeador, Cristo, semeia Sua Palavra em mim (no campo da minha vida), posso dizer que ela cai em bom terreno na minha vida? O que é que a Palavra de Deus que escuto me interpela? Qual apelo de Deus para mim através de Sua Palavra?  A Palavra de Deus que eu escuto e medito produz alguma mudança na minha vida e convivência?


Tal como a chuva e a neve caem do céu e para lá na voltam sem ter regado a terra, sem a ter fecundado... assim acontece à Minha Palavra que Minha boca profere: não volta sem ter produzido seu efeito...”, diz o Senhor Deus (Is 55,10-11).


Deus espera de nós um coração bom e bem disposto capaz de dar fruto permanente. Deus não quer que sejamos terrenos estéreis. Deus que sejamos comprometidos totalmente com Seu Evangelho apesar das perseguições e críticas e manifestemos que a Palavra de Deus posta na vida é a única capaz de nos salvar e de dar-lhe um novo rumo à história. A Palavra de Deus na produz fruto de um modo violento. O Senhor que de nós pessoas capazes de se deixar guiar pelo Seu Santo Espírito, santificar por Sua Palavra de tal modo que sejamos construtores de um mundo que dia após dia vai se renovando no amor, na verdade, na justiça, na solidariedade, na misericórdia. Se nossa fé nos leva a um verdadeiro compromisso com o Reino de Deus que Jesus nos anunciou, devemos nos converter em semeadores de Sua Palavra em todos os ambientes em que se desenvolve nossa vida. nós que cremos em Cristo não podemos passar a vida sentados e queixando-nos porque nosso mundo se vai deteriorando e piorando cada vez mais. Temos que fazer nossa a Palavra de Deus. quando a Palavra de Deus se tornar carne e sangue em nós, seremos bons semeadores e haverá muito frutos. As palavra movem, mas o exemplo arrasta as pessoas para se tornarem sócios do bem. Deus não condena quem não pode fazer o que quer, mas quem não quer fazer o que pode” (Santo Agostinho: Serm. 54,2). Mas “A Palavra de Deus se converte em teu inimigo quando tu és amigo da perversidade” (Santo Agostinho: In ps. 35,1).

P. Vitus Gustama,svd

Nenhum comentário: