quinta-feira, 29 de junho de 2017

30/06/2017
Resultado de imagem para Mt 8,1-4Resultado de imagem para Senhor, se queres podes purificar-me
ESTENDER MÃO PARA ABRAÇAR TODOS A FIM DE FORMAR UMA COMUNIDADE DE IRMÃOS


Sexta-feira da XII Semana Comum


Primeira Leitura: Gn 17,1.9-10.15-22
1 Abrão tinha noventa e nove anos de idade, quando o Senhor lhe apareceu e lhe disse: “Eu sou o Deus Poderoso. Anda na minha presença e sê perfeito”. 9 Deus disse ainda a Abraão: ”Guarda a minha aliança, tu e a tua descendência para sempre. 10 Esta é a minha aliança que devereis observar, aliança entre mim e vós e tua descendência futura: todo homem entre vós deverá ser circuncidado”. 15 Deus disse também a Abraão: “Quanto à tua mulher, Sarai, já não a chamarás Sarai, mas Sara. 16 Eu a abençoarei e também dela te darei um filho. Vou abençoá-la, e ela será mãe de nações, e reis de povos dela sairão”. 17 Abraão prostrou-se com o rosto em terra, e pôs-se a rir, dizendo consigo mesmo: “Será que um homem de cem anos vai ter um filho e que, aos noventa anos, Sara vai dar à luz?” 18 E, dirigindo-se a Deus, disse: “Se ao menos Ismael pudesse viver em tua presença”. 19 Deus, porém, disse: “Na verdade, é Sara, tua mulher, que te dará um filho, a quem chamarás Isaac. Com ele estabelecerei a minha aliança, uma aliança perpétua para a sua descendência. 20 Atendo ao teu pedido, também, a respeito de Ismael. Eu o abençoarei e tornarei fecundo e extremamente numeroso. Será pai de doze príncipes e farei dele uma grande nação. 21 Mas, quanto à minha aliança, eu a estabelecerei com Isaac, o filho que Sara te dará no ano que vem, por este tempo”. 22 Tendo acabado de falar com Abraão, Deus se retirou.


Evangelho: Mt 8,1-4
1 Tendo Jesus descido do monte, numerosas multidões o seguiam. 2 Eis que um leproso se aproximou e se ajoelhou diante dele, dizendo: “Senhor, se queres, tu tens o poder de me purificar”. 3 Jesus estendeu a mão, tocou nele e disse: “Eu quero, fica limpo”. No mesmo instante, o homem ficou curado da lepra. 4 Então Jesus lhe disse: “Olha, não digas nada a ninguém, mas vai mostrar-te ao sacerdote, e faze a oferta que Moisés ordenou, para servir de testemunho para eles”.
________________


Não Tenhamos Medo De Progredir, Pois Deus Está Conosco


Eu sou o Deus Poderoso. Anda na minha presença e sê perfeito”.


Depois que se revelou como o Deus Poderoso (El Saday), Deus exige de Abrão que seja perfeito e caminhe na presença de Deus. Não se determina nenhuma prescrição positiva e sim a intimação de ser reto e íntegro em seus costumes, isento de todo pecado.


Neste capitulo (Gn 17), Deus muda o nome de Abram (Abrão) em Abraham (Abraão) dizendo “porque farei de ti o pai de uma multidão de povos” (Gn 17,5). Aqui o autor sagrado faz um jogo de palavras na mudança do nome de Abraão: “Abram”. “Ab” (pai) e “hamon” (multidão). Na realidade, etimologicamente, Abram significa “meu pai é elevado, de nobre estirpe”. Nas promessas anteriores se dizia que seria pai de um povo inumerável. Agora, a perspectiva se alarga e se diz que será pai de “multidão de povos” e que dele sairão “reis” (Gn 17,8). Por isso, a partir de agora Abraão é como uma nova pessoa diante de Deus, pois agora Abraão simboliza a paternidade sobre “multidão de povos”.


Cada um de nós tem seu nome próprio. É bom procurar saber qual é o significado de seu nome. Você vive de acordo com o significado do seu nome? O que se exige de você a partir do significado de seu nome? Qual foi motivo pelo qual seus pais adotaram a você o nome que você tem atualmente? “Dentro de nós há uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos” (José Saramago) e que por fora os pais nos adotaram um nome que nos merece.


Anda na minha presença e sê perfeito”, ordena Deus a Abraão. “Anda!”. “Avança!”. Não sejas passivo! Levanta-te! Encarrega-te de tua vida. Isto é o que o Senhor pede a cada um de nós. “Mas na minha presença”, disse Deus. Deus está nos dizendo: “Estou contigo; eu te ajudarei se tu começares a andar, a avançar”.


Sê perfeito”, acrescentou Deus. Deus está nos dizendo: “Faças tudo o que podes, progride em todas as tuas capacidades; vê mais longe, continues a avançar; não te desanimes nunca. Tu podes fazer o melhor cada dia!”. A vida é tanto um caminho como um movimento. Deus nos exige. Caminhar na presença de Deus ou dedicar-Lhe totalmente a existência há de construir a suprema aspiração dos justos e perfeitos como Abraão.


Circuncisão Do Físico e Do Coração Para Pertencer a Deus e Como Condição Para Herdar Bênção Divina


Esta é a minha aliança que devereis observar, aliança entre mim e vós e tua descendência futura: todo homem entre vós deverá ser circuncidado”.


Nós encontramos diante de um dos capítulos mais importantes da tradição sacerdotal que elaborou com sumo cuidado a importância da circuncisão.


A palavra “circuncidar” vem do latim “circumcidere”: circum, ao redor; “caedere”, cortar. Circuncisão consiste em cortar circularmente uma porção do prepúcio para que possa descobrir-se a glande. Para os judeus a circuncisão deve ser feita ao oitavo dia depois do nascimento, segundo a lei de Lv 12,3 e o relato sacerdotal da aliança com Abraão, Gn 17,12.


O pacto de Deus com Abraão toma traços concretos. Além da exigência da retidão e lealdade diante de Deus (“Anda na minha presença e sê perfeito”), também aparece o que depois será sinal externo da pertença ao povo eleito a circuncisão dos filhos varões. Em diversas culturas a circuncisão obedece a razoes higiênicas ou de iniciação sexual. Mas aqui tem sentido religioso. A circuncisão é sinal da pertença ao povo de Deus e da fidelidade à Aliança com Deus. a circuncisão se converte em sinal da aceitação, por parte do homem, do compromisso libertador de Deus, e por isso, se vincula tão intimamente à fé de Israel, sobretudo a partir do exilio , quando nasceu a tradição sacerdotal.


Relacionada com Abraão, pai do povo (Gn 17,9-14; 21,4), promulgada na lei (Lv 12,3), a circuncisão é a condição indispensável para poder celebrar a Páscoa na qual Israel se declara povo eleito e salvado por Javé (Ex 12,44.48).


Mas há risco escondido. Israel pode acreditar que basta estar circuncidado para desfrutar das promessas da aliança. O profeta Jeremias, foi o primeiro que recordou ao povo eleito. Para o profeta Jeremias a circuncisão física não tem em si nenhum valor (Jr 9,24). O que importa é tirar o prepúcio dos corações: “Circuncidai-vos ao Senhor, e tirai os prepúcios do vosso coração, ó homens de Judá e habitantes de Jerusalém, para que o meu furor não venha a sair como fogo, e arda de modo que não haja quem o apague, por causa da malícia das vossas obras” (Jr 4,4). O Deuteronômio também chama a atenção para a circuncisão do coração, isto é, o amor exclusivo de Deus e a caridade fraterna (Dt 10,12-22). A mesma tradição sacerdotal também faz eco (Lv 26,41).  Esta circuncisão do coração que Israel era incapaz, será dada por Deus no dia da salvação: “O Senhor teu Deus circuncidará o teu coração, e o coração de tua descendência, para amares ao Senhor teu Deus com todo o coração, e com toda a tua alma, para que vivas” (Dt 30,6). Neste mesmo discurso São Paulo discernirá com justa razão um anúncio da salvação pela graça e pela fé (Rm 10,6ss).


Em outras palavras, não bastam ritos e rituais externos. Todos eles devem expressar a pureza de nosso coração e a caridade nas nossas obras. Se temos tanto tempo para arrumar nosso físico (exterior), devemos ter mais tempo para limpar nosso coração de suas impurezas. O coração é o centro de nosso ser, a fonte de nossa personalidade, o motivo principal de nossas atitudes e escolhas, o lugar da misteriosa ação de Deus. O coração representa o ser humano em sua totalidade, é o centro original da pessoa humana, aquilo que lhe dá a unidade. Quem não cuida de seu interior, para nada valem as coisas externas. Quando algo não sair de nosso coração, também não vai atingir o coração dos outros, muito menos vai chegar ao coração de Deus.


Deixar De Ter Um Coração De Lepra


Tendo Jesus descido do monte, numerosas multidões o seguiam”. Esta frase é antitética com Mt 5,1: “Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte...”. Agora Jesus desceu da Montanha e “numerosas multidões o seguiam”. A descida de Jesus da Montanha marca o passo do ensinamento para a ação.


O evangelista Mateus nos relatou que “um leproso se aproximou de Jesus”.  Mateus usa o verbo “aproximar-se” 54 vezes no seu evangelho. Este verbo está carregado de sentido. A comunidade de Mateus, de origem judia, ao escutar este verbo, sentia que caiam muitas barreiras “do puro e do impuro”. Por isso, Mateus relatou que “Jesus estendeu a mão, tocou no leproso”. O leproso estava verdadeiramente excomungado da comunidade social e cultural de Israel e era declarado “impuro” e marginalizado de toda participação no culto e acreditava-se que era incapaz de aproximar-se de Deus e da sociedade humana (cf. Lv 13,45-46).


Mas o leproso do Evangelho já sabe que, com Jesus, caíram as barreiras e sabe que para Jesus, mesmo sendo leproso, ele é parte da comunidade.


Aproximou-se de Jesus um leproso e lhe suplicou: “Senhor, se queres, podes purificar-me”. A oração desse leproso é breve e confiante.  “Se queres”, disse o leproso. Ele não pede nem exige nada. E acrescenta: “podes purificar-me”. Para o leproso, Jesus é aquele que pode curá-lo e ao mesmo tempo pode reabilitá-lo totalmente, isto é, purificá-lo, eliminar dele todo sinal de impureza, fazendo-o capaz de se aproximar de Deus. E Jesus atendeu ao pedido do leproso: “Eu quero, fica limpo”.


É o primeiro milagre relatado por Mateus logo depois do Sermão da Montanha. A escolha de um leproso para este primeiro milagre para Mateus tem seu significado. Mateus escreveu seu evangelho para os judeus. Em seu contexto cultural e religioso, a lepra era o mal por excelência, uma enfermidade contagiosa que destruía lentamente a pessoa afetada e que era considerada pelos antigos como um castigo de Deus, sinal de pecado que excluía a pessoa afetada da comunidade (Dt 28,27-35; Lv 13,14). O leproso era considerado impuro e fazia impuro tudo que tocava. Por isso, ele era afastado da comunidade. O leproso sofria, então, não somente fisicamente, mas também psicológico e social e religiosamente. E para a lepra não tinha nenhum remédio. O leproso estava condenado à morte. Restava esperar um milagre para sobreviver.


 Mas no meio da falta de solução e de saída Jesus apareceu para superar o problema. Jesus estendeu a mão e tocou nele e disse: “Eu quero. Fica limpo”. A palavra de Deus se torna fato, se for obedecida e praticada. A força salvadora de Deus está na ação de Jesus. De fato, o leproso ficou curado. Podemos imaginar alegria deste homem que era solitário, abandonado, excluído e maldito pela sociedade e agora feliz, pois volta a olhar para o futuro com muita esperança.


A mão estendida, o contato é um sinal de amizade. Jesus se apresenta como amigo do sofredor, do abandonado e se aproxima dele para dizer que o sofredor não está sozinho. Jesus compartilha os dramas da humanidade. Por este humilde gesto Jesus reintegra o leproso curado na sociedade dos que o excluíam. Esta mão estendida é também um gesto de vitória. Esta mão estendida é o gesto de amor. É uma mão pronta para ajudar como ajudou Pedro que estava para afogar. É uma mão que está pronta para ajudar quem se encontra na dificuldade.


Todos nós somos débeis de alguma forma e necessitamos da ajuda permanente de Jesus. Nossa oração, confiada e simples, como a do leproso, se encontra sempre com o olhar de Jesus, com sua vontade de nos salvar. Jesus nos toca com sua mão diariamente. Mas muitas vezes estamos bem anestesiados pelas preocupações e agitações que acabamos não sentindo a mão de Jesus tocando nossa mão. Jesus nos alimenta com o Pão e o Vinho da Eucaristia, tocando nossa vida. Ele nos perdoa através da mão de seus ministros estendida sobre nossa cabeça, tocando e ungindo nossa testa e nossa mão com o óleo santo de batismo, de crisma, dos enfermos.


Olhando para o leproso antes e depois de sua cura, cada um precisa se perguntar: “O que é que faz você perder a esperança lentamente?”. E nesta situaçao, você tem coragem de se aproximar de Jesus e deixar-se tocar por ele para você voltar a ter mais esperança e força para continuar sua luta?


P. Vitus Gustama,svd

Nenhum comentário: