sábado, 22 de agosto de 2015

SÃO BARTOLOMEU, APÓSTOLO


24 de Agosto

Texto de Leitura: Jo 1,45-51

45 Filipe encontrou-se com Na­tanael e lhe disse: “Encontramos aquele de quem Moisés escreveu na Lei, e também os profetas: Jesus de Nazaré, o filho de José”. 46 Natanael disse: “De Nazaré pode sair coisa boa?” Filipe respondeu: “Vem ver!” 47 Jesus viu Nata­nael que vinha para ele e comentou: “Aí vem um israelita de verdade, um homem sem falsidade”. 48 Natanael perguntou: “De onde me conheces?” Jesus respondeu: “Antes que Filipe te chamasse, enquanto estavas debaixo da figueira, eu te vi”. 49 Na­ta­nael respondeu: “Rabi, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel”. 50 Jesus disse: “Tu crês porque te disse: Eu te vi debaixo da figueira? Coisas maiores que esta verás!” 51 E Jesus continuou: “Em verdade, em verdade eu vos digo: Vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem”.

______________

Hoje é a festa de São Bartolomeu, Apóstolo. Seu nome é patronímico porque é formulado com uma referência explicita ao nome do pai.  Bartolomeu quer dizer filho de Tholmay (Bar Tholmay). Tholmay quer dizer arado ou agricultor. O nome de Bartolomeu aparece nos evangelhos sinóticos e nos Atos dos Apóstolos dentro da lista dos Apóstolos (Mt 10, 3; Mc. 3, 18; Lc. 6, 14; At. 1, 13). No Quarto Evangelho (evangelho de João) não se encontra o nome de Bartolomeu. Encontra-se apenas o nome de Natanael duas vezes. A tradição identifica o Apóstolo Bartolomeu com Natanael (Natanael significa dom de Deus ou Deus deu).


“Da sucessiva atividade apostólica de Bartolomeu-Natanael não temos notícias claras. Segundo uma informação referida pelo historiador Eusébio do século IV, um certo Panteno teria encontrado até na Índia os sinais de uma presença de Bartolomeu (cf. Hist. eccl., V 10, 3). Na tradição posterior, a partir da Idade Média, impôs-se a narração da sua morte por esfolamento (sua pele é tirada de seu corpo), que se tornou muito popular. Pense-se na conhecidíssima cena do Juízo Universal na Capela Sistina, na qual Michelangelo pintou São Bartolomeu que segura com a mão esquerda a sua pele, sobre a qual o artista deixou o seu auto-retrato. As suas relíquias são veneradas aqui em Roma na Igreja a ele dedicada na Ilha Tiberina, aonde teriam sido levadas pelo Imperador alemão Otão III no ano de 983. Para concluir, podemos dizer que a figura de São Bartolomeu, mesmo sendo escassas as informações acerca dele, permanece contudo diante de nós para nos dizer que a adesão a Jesus pode ser vivida e testemunhada também sem cumprir obras sensacionais. Extraordinário é e permanece o próprio Jesus, ao qual cada um de nós está chamado a consagrar a própria vida e a própria morte” (Bento XVI AUDIÊNCIA GERAL Quarta-feira, 4 de Outubro de 2006).

______

        
O texto do evangelho de hoje é lido em função do apóstolo Bartolomeu. E o texto fala sobre Filipe e Natanael em relação com Cristo. A necessidade de comunicar a experiência de Jesus faz com que Filipe vá buscar Natanael, como fez André para Simão Pedro, seu irmão. Filipe identifica Jesus pela sua família e lugar de procedência: “Jesus, Filho de José de Nazaré” (v. 45).


De imediato, a reação de Natanael é negativa: “De Nazaré pode sair algo de bom?” (v.46). É possível que com a frase de desprezo pronunciada por Natanael o evangelista queria refletir a desconfiança que tinham provocado os movimentos de libertação messiânicos, surgidos, sobretudo, na região da Galiléia, aos quais se oporá o messianismo de Jesus.


Diante do ceticismo de Natanael, Filipe remete-se à experiência. Convida Natanael com palavras quase iguais às que Jesus usou para convidar os dois discípulos de João a irem ver onde residia (Jo 1,39). Mas o convite aqui refere-se à pessoa e não ao lugar. Os que não conhecem a Jesus têm que primeiro conhecê-lo. Jesus jamais se define a si mesmo; o contato com ele é que fará compreender sua pessoa.
  

Natanael demonstra seu desejo de ver Jesus e está disposto a comprovar pessoalmente a afirmação de Filipe.
  

Jesus assume a iniciativa e descreve Natanael como modelo de israelita porque nele não existe falsidade. A qualificação “verdadeiro israelita” que Jesus aplica a Natanael, o homem sem falsidade, qualifica-o como alguém que conserva a autenticidade da primeira época e não atraiçoou ao seu Deus. Com isso, Jesus mostra sua intenção de integrar o verdadeiro Israel na comunidade de Jesus/messiânica, renovando a eleição feita outrora por Deus (Os 9,10).


O verdadeiro encontro com Jesus sempre muda a vida de qualquer pessoa completamente. Vários relatos dos evangelhos nos mostram essa verdade. Quando se encontrou com Jesus Natanael/Bartolomeu mudou completamente de vida: de uma atitude insolente quase agressiva: “De Nazaré pode sair coisa boa?” para uma rendida confissão de fé: “Mestre, Tu és o Filho de Deus, tu és o rei de Israel”. O verdadeiro encontro com Jesus transforma: uma pessoa agressiva em uma pessoa doce, gentil, educada; uma pessoa dura em uma pessoa flexível; uma pessoa que ataca em uma pessoa que reconcilia; uma pessoa que atrapalha em uma pessoa que ajuda; uma pessoa preocupada em uma pessoa serena; uma pessoa violenta em uma pessoa pacífica; um bandido crucificado com Ele em companheiro de viagem para o Paraíso: “Hoje mesmo tu estarás comigo no Paraíso” (Lc 23,43); Zaqueu, de ladrão em amigo de Jesus (Lc 19,2-10); a Samaritana, de uma mulher frívola em evangelizadora (Jo 4,28-30.39-42); São Paulo, de um assassino em grande evangelizador (At 9,1-19); até a água Jesus transformou em vinho saboroso (cf. Jo 2,1-11), pois “para Deus nada é impossível” (Lc 1,37). Basta ler a Bíblia, poderíamos aumentar esta lista.


A mudança da vida de Natanael/ Bartolomeu brotou de um testemunho, da mediação de Felipe: “Vem e verás!”. Com estas palavras Natanael/ Bartolomeu ficou plasmado e foi ao encontro de Jesus e a partir daquele encontro sua vida mudou completamente; ele passou a ser um dos apóstolos de Jesus, aquele que é enviado para levar o que é digno, o que salva para os outros homens. “Venha e você verá!”. O apóstolo Bartolomeu, plasmado nesta frase, ilumine também nosso viver.


No evangelho de hoje Jesus faz o elogio sobre Natanael/ Bartolomeu: “Ai vem um israelita de verdade, um homem sem falsidade”. É muito difícil ser buscador da verdade e estar disposto a ser fiel à mesma, inclusive até sentir o desprezo e abandono de muitos em nome da verdade: tudo para ser apostolo, missionário. Os apóstolos ouviram dos lábios de Jesus: “Ide e pregai, batizai e perdoai, curai e sarai. A primeira missão da Igreja é evangelizar: levar e espalhar o que é bom para a dignidade da vida humana e para sua salvação.


Os apóstolos acabaram sua vida no martírio como Bartolomeu. Foram testemunhas da verdade e fieis até a morte. Graças ao testemunho dos apóstolos o evangelho chegou até nós. Nós formamos uma cadeia com eles pelo evangelho. É preciso que continuemos essa obra tirando o que é bom dentro de nós para que todos possam viver felizes como irmãos de uma família evangelizadora apesar da resistência do mundo. O sentido de nossa vida está na partilha do bem e da alegria, na solidariedade e na compaixão com os necessitados e na certeza de nosso futuro com Deus que se inicia já agora neste mundo sendo evangelizadores. O apostolo Bartolomeu interceda por nós!


A memória dos Apóstolos nos fala de nossa própria vocação. Também fomos chamados por Cristo. Alguém nos apresentou Jesus, ou alguém nos introduziu na presença de Jesus Cristo, como Filipe para Natanael, ou simplesmente fomos chamados por Cristo através de outros meios, ou simplesmente ouvimos o que Jesus nos disse: “Segue-me!”. A nós, como para cada um dos Apóstolos, foi confiada uma missão na Igreja conforme nossas capacidades e nossas responsabilidades. Não podemos deixar que nossa vocação fique adormecida. Ser enviado (ser apóstolo) para anunciar o bem e servir a Igreja do Senhor nos irmãos faz parte de nosso ser Igreja. Sejamos colaboradores da fé e da Igreja e não consumidores da fé! Procuremos Jesus não pelos seus milagres e sim pela sua causa que consiste no amor fraterna, na partilha e doação que é a chave geral para a paz.

P.Vitus Gustama,svd

Nenhum comentário: